Escrevendo Textos...: Janeiro 2012

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Receita pra viver Feliz!!!

Vamos viver tudo que há pra viver, vamos nos PERMITIR!!!
Lulu Santos

domingo, 22 de janeiro de 2012

Shiva Nataraja

É engraçado ver tantas brigas e guerras por causa das diferenças nas crenças, principalmente aquelas ligadas à religião, vejo que Deus está presente em todas, abençoando todas as pessoas nas quais o procuram de coração e acredito que cada uma das religiões existentes foi criada para atender as
necessidades de cada ser humano sendo ligado diretamente ao nível espiritual.

Sou particularmente uma apaixonada por religiões, pela riqueza de cultura que cada uma oferece, pela o incentivo da devoção e fé, assim como a forma em que modificam as vidas das pessoas através de Deus.

Sempre fui católica, mas muitas coisas não condiziam com meus pensamentos e opiniões que carreguei deste muito cedo, ainda me considero católica, mas hoje sou espírita praticante e tenho certa fascinação pelo hinduísmo e budismo, pois muitos podem criticar pela devoção de seus Deuses, porém ninguém pode negar que a filosofia pregada por eles é maravilhosa, de desapego de todas as coisas, da busca de seu próprio ‘eu’ e principalmente a libertação de sentimentos destruidores como egocentrismo, egoísmo, ódio, ambição entre outras.

Colocarei aqui um pouco de Shiva, na qual tive um sonho no primeiro dia deste ano, apesar de eu não ser tão ligada a esta imagem, meu sonho tinha exatamente esta imagem que acredito que está me trazendo ótimas energias de renovação e transformação.

Shiva Nataraja

Neste aspecto, Shiva aparece como o rei (raja) dos dançarinos (nata). Ele dança dentro de um círculo de fogo, símbolo da renovação e, através de sua dança, Nataraja cria, conserva e destrói o universo. Ela representa o eterno movimento do universo que foi impulsionado pelo ritmo do tambor e da dança. Apesar de seus movimentos serem dinâmicos, como mostram seus cabelos esvoaçantes, Shiva Nataraja permanece com seus olhos parados, olhando internamente, em atitude meditativa. Ele não se envolve com a dança do universo pois sabe que ela não é permanente. Como um yogue, ele se fixa em sua própria natureza, seu ser interior, que é perene.

Em uma das mãos, ele segura o Damaru, o tambor em forma de ampulheta com o qual marca o ritmo cósmico e o fluir do tempo. Na outra, traz uma chama, símbolo da transformação e da destruição de tudo que é ilusório. As outras duas mãos, encontram-se em gestos específicos. A direita, cuja palma está a mostra, representa um gesto de proteção e bênçãos (abhaya mudrá). A esquerda representa a tromba de um elefante, aquele que destrói os obstáculos.

Nataraja pisa com seu pé direito sobre as costas de um anão. Ele é o demônio da ignorância interior, a ignorância que nos impede de perceber nosso verdadeiro eu. O pedestal da estátua é uma flor de lótus, símbolo do mundo manifestado.

A imagem toda nos diz: "Vá além do mundo das aparências, vença a ignorância interior e torne-se Shiva, o meditador, aquele que enxerga a verdade através do olho que tudo vê (terceiro olho, Ájña Chakra)."

domingo, 15 de janeiro de 2012

Tudo dará certo!

Tem dias que a caminhada fica mais difícil, os passos largos se encurtam tanto que você tropeça e levantar às vezes é difícil existem vários empecilhos que te mantém ao chão.

Mas estes te param para fazer refletir sobre tudo que tem vivido ou de seus erros, mesmo que pequenos, fazem você lembrar que as caminhadas nem sempre são fáceis e que os sonhos mais saborosos são realizados com certo sacrifício.

E assim vamos vivendo, acreditando nos sonhos do coração, e acreditando que tudo dará certo!

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Inesperadamente

Tudo se misturou. Primeiro, a narrativa poética, o modelo de escrever, as fotos surreais, o bom gosto. Quase não durmo: estas coisas me entorpecem! Depois, a procura, o sorriso, o inesperado, a conversa, o convite, as palavras, o olhar. Veio em boa hora. Consigo parar de pensar não. Por ora, não. Tudo isto misturou minha cabeça, como um surto inesperado.
Fico pensando, pensando, pensando, e trago à minha face um sorrisinho de canto de boca.
As coisas são divertidas, são engraçadas e eu me intrigo: basta um segundo pós segundo e tudo sai da inércia. Inesperadamente.
Renata Pires Rocha

sábado, 7 de janeiro de 2012

Pinguim - Christina Perri

Amor como esse é tudo que eu quero
Baby, nós somos destinos
Amor como esse pode acontecer uma vez
Baby, nós somos destino
Como alma gêmea
Ele é o meu pinguim
Baby, somos o destino
Baby, é o destino
Não é sorte

Meditando...

‎"Torne-se mais amoroso e mais silencioso. É uma tarefa difícil! Seja amoroso com os outros e, quando estiver sozinho, fique em silêncio. Comece a se sentar em silêncio. Sempre que tiver tempo, sente-se em silêncio, com os olhos fechados, sem fazer coisa alguma. Sei que vai ser um fenômeno difícil, mas, se você começar, um dia conseguirá fazê-lo.

Estas duas coisas são de suma importância: o dom de amar os outros e o dom do silêncio consigo mesmo. Elas lhe trarão grande alegria e um dia trarão Deus a sua porta."

Osho

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Triunfar e sonhar

E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar...
Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de as superar.
Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tivesse sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde.
Agora me importa simplesmente saber melhor o que fazer.
Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de"amigo".
Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, "o amor é uma filosofia de vida".
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma tênue luz no presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas...
Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornar-se realidade.
E desde aquele dia já não durmo para descansar... simplesmente durmo para sonhar.

(Walt Disney)